-->

24/01/2011

Cantores de Rua


Olá, pessoal !

Quem, aqui, nunca se pegou andando pela rua e, de repente, parou para assistir aos artistas de rua ? Todos nós sabemos que este assunto é fruto de conversas  polêmicas. Por quê? Porque muitos acham que são farsantes, outros acham que eles poderiam trabalhar de uma forma "normal" como todo mundo faz, tipo, carteira assinada, gravata, ternos, e por aí vai. Mas aí vem a questão que muitos, às vezes, não pararam para pensar: Esta é a forma que eles acharam para trabalhar e viver.

Muitas das vezes, quando  a vida fica difícil para algumas pessoas, simplesmente elas tendem para vários caminhos, inclusive, infelizmente, para a criminalidade.

Os artistas que aparecem no vídeo, apesar de serem discriminados por alguns, fazem da música seu meio de vida, e encontram nela a alegria de viver. São eles, os “Artistas de Rua”.





Playing for Change


Mark Johnson uniu músicos de ruas de vários países para gravarem juntos, com o objetivo de "inspirar, conectar e trazer paz ao mundo através da música". O projeto se desenvolveu e criaram a fundação "Playing for Change", que promove shows com esses intercâmbios musicais e constrói escolas de músicas nesses países. O resultado foi registrado em um DVD, lançado em 2009.

No documentário há músicos de ruas americanas, metrôs europeus, vilas africanas, reservas indígenas e até das montanhas do Himalaia.
Tem a Nazareh Orchestra, onde tocam judeus e arábes lado a lado, e um coral irlandês, composto por jovens católicos e protestantes. Ah, o Bono do U2 também faz uma participação. Vale a pena dar uma conferida nos vídeos!


Maiores informações em: Playing for Change, Foundation, Youtube

3 comentários:

Ana D'ávila disse...

Estão tentando sobreviver, né? O povo brasileiro deveria se orgulhar deles e apoiá-los. A arte nasce assim. Já pensou se eles não existissem? A vida urbana seria sem graça.

Simone Prado disse...

É verdade, Ana, também concordo com você. Eu não tenho o hábito de parar para ouvi-los, só de vez em quando. Mas, mesmo assim, acho interessante. Só que, pelo que eu soube, São Paulo parece não ver da mesma forma, haja vista a atual política sobre os cantores de ruas. Enfim...
Um abração!

Anônimo disse...

A MESMA MENORIA QUE DESCRIMINA O ARTISTA DE RUA, 60% DELAS VÃO A TEATRO E SHOUS PROFISSIONAIS DE ARTISTAS E PAGAM BARBARIDADES EM DINHEIRO EM DINHEIRO.
PORQUE NÃO PAGAR (DAR).DE 1 A 5 REAIS PARA ASSISTIR OS ARTISTAS DE RUA.POIS PARA MIM É O MESMO ESPETACULO, E O MESMO TRABALHO. A UNICA DIFERENÇA ESTA NOS PALCOS E BASTIDORES, EU PARTICULAMENTE PARO DOU O QUE POSSO ECOMPRO SEU CD OU DVD SE TIVEREM.POIS NÃO SOU IPÓCRITA. -CARLÃO COLATINA E.S-